sábado, 23 de agosto de 2014

Paraíso amazônico parauara


Foto de Jean Barbosa
Conhecem a praia de Aramanaí, às margens do belíssimo rio Tapajós? No verão tem areia branquinha, passa seis meses submersa na cheia, e fica no município de Belterra, região Oeste do Pará. Um desbunde da Mãe Natureza. Dá vontade de mergulhar nessas águas límpidas e refrescantes e ficar de bubuia, como diz o caboclo que sabe viver.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Literatura e arte no Baixo Amazonas

O VII Salão do Livro do Baixo Amazonas abre hoje, às 19h, com a apresentação do Quarteto de Cordas da Escola de Música Wilson Fonseca, na Tenda Principal, logo na entrada do Parque da Cidade Pérola do Tapajós, no bairro Santa Clara, em Santarém. No Espaço Infantil Lúdico Educacional (área interna), das 19h às 22h, tem Ciranda de Artes e SEMC/Biblioteca Municipal e exposição de fotografias de alunos da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). O tradicional Encontro Literário, que busca aproximar o público de escritores locais e nacionais, começa na segunda-feira (25), sempre às 19:30h, na Sala Pará (Espaço Multiuso), com os escritores parauaras Vicente Cecim (Belém), Sidney Canto (Santarém) e Domingo Diniz (Oriximiná). Na terça, 26, o Encontro será com o escritor e poeta Thiago de Mello (AM). Já no dia 27 terá Márcia Kambeba (PA) e Floriano Cunha (Santarém). Na quinta-feira (28), será a vez do escritor e poeta Antônio Cícero (RJ). O encerramento, na sexta-feira (29), será com Alfredo Garcia (Belém), Edith Carvalho e Sérgio Andrade (Óbidos). Todos terão mediação do escritor Daniel Leite, de Belém. 

Este ano, o país homenageado é o Qatar e o escritor, o amazonense Milton Hatoum. O salão, que integra a programação anual da Feira Pan-Amazônica do Livro, promovida pela Secretaria de Cultura do Estado, leva ao público da região também música, cinema e teatro. Assim como nos anos anteriores, os servidores da Seduc terão o Credlivro – bônus de R$200 para aquisição de livros. 

Posse da nova diretoria do Sinjor-PA

 Fotos: Tarso Sarraf


Todos os coleguinhas estão convidados para a posse da jornalista Roberta Vilanova, que irá substituir Sheila Faro na presidência do Sinjor-PA; do vice-presidente, repórter cinematográfico João Freitas, e de toda a nova diretoria, amanhã, 23, às 18:30h, na sede do Sindicato dos Urbanitários do Pará (Av. Duque de Caxias, 1234, entre Lomas Valentinas e Enéas Pinheiro). Após a cerimônia haverá um coquetel de confraternização com música ao vivo. Interiorização, valorização profissional, condições de trabalho, qualificação e capacitação profissional são pontos prioritários na luta do Sindicato dos Jornalistas do Pará. O  mandato é de três anos (2014/2017). A nova diretoria do Sinjor-PA foi eleita no dia 11 de junho, com 160 votos contra 111 da chapa 2, três votos em branco e cinco nulos. 

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Regional do BC no Pará pode fechar


TJE-PA de luto pela perda de Montalvão

O desembargador Cláudio Montalvão das Neves, 63 anos, vice-presidente do TJE-PA, sucumbiu hoje ao câncer de estômago que o acometia há vários anos. O expediente foi suspenso e decretado luto oficial de três dias no tribunal. O velório será no salão nobre do plenário, no prédio-sede, na Av. Almirante Barroso, em Belém. 

Cláudio Montalvão foi presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Pará (AMEPA), em duas gestões, 1996 a 1997 e 1998 a 1999 e presidiu mais de 600 sessões do Tribunal do Júri, e julgamentos de grande repercussão, como os casos Dorothy Stang, deputado João Batista e Rafael Lobato. Graduado em Direito pela UFPA, começou a carreira jurídica como advogado criminalista entre 1978 e 1985, e era magistrado formado pela Escola de Magistratura do Estado do Pará. Foi vice-presidente da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), entre 2002 e 2004, atuou junto ao TRE-PA e também era membro do Conselho Estadual de Segurança Pública (Consep). Montalvão deixa esposa, dois filhos e netos. Que Deus o receba em paz e console sua família.

ATUALIZAÇÃO: O sepultamento será amanhã, às 10:30h, no cemitério Recanto da Saudade, em Ananindeua. O governador Simão Jatene  decretou luto oficial por três dias.

Posse da Ampep e entrega de comenda


Foto:Nair Araújo
Associação do Ministério Público do Estado do Pará outorgará ao presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda(DEM), a comenda de Honra ao Mérito da Ampep, na sexta-feira, dia 29 de agosto, no salão Karajás do Hilton Belém. A honraria foi instituída no biênio 1996/1998, na gestão do então presidente Clodomir Assis Araújo. São escolhidos associados ou personalidades que tenham contribuído para o aperfeiçoamento da carreira ministerial, indicados por 2/3 da diretoria administrativa. A outra homenageada deste ano é a presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Norma Cavalcanti. O presidente da Ampep, promotor de justiça Manoel Victor Sereni Murrieta e Tavares, e o ex-presidente, promotor Samir Dahás Jorge, convidaram pessoalmente Márcio Miranda para a posse festiva do novo corpo diretivo da entidade, que será na mesma data. O presidente da Alepa adiantou que recebe a honraria como uma homenagem a todos os membros do Poder Legislativo do Pará

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Pacto pela educação


A educação é a mola mestra da sociedade, é um ato histórico, crítico, político e social, com desenvolvimento crescente e sempre se adequando à realidade humana. É muito mais do que o processo de ensino-aprendizagem. Tarefa complexa, requer preparo e compromisso, envolvimento e responsabilidade, engajamento com a causa democrática a fim de ajudar a construção do sujeito social, do cidadão em sua mais plena acepção.


É preciso, sim, um pacto nacional pela educação, como política de Estado, que proporcione a compreensão da sociedade como um todo e a possibilidade de reflexão crítica das relações de poder.

Façamos, pois, um pacto pela educação do Pará e de todo o Brasil.

Prêmio IAP Artes Literárias 2014

Saiu no DOE a lista dos nove escritores parauaras contemplados com o Prêmio IAP Artes Literárias 2014, nas categorias Dramaturgia, Conto, Poesia, Ensaio, Literatura Infanto-Juvenil e Memorialística. São Daniel da Rocha Leite, Anastácio Trindade Campos, João Bosco Maia da Silva, Jorge Wellington Correa Quadros, Franz Kreuther Pereira, Josebel Akel Fares, Felipe Bruno Silva da Cruz, Antônio Edvandro Pessoa de Oliveira e Álvaro Luiz Vinente de Souza. Eles terão seus livros publicados com tiragem de 500 exemplares cada. O lançamento será na sede do IAP, em data ainda não definida.

As obras inscritas na categoria Romance não alcançaram a pontuação mínima para publicação. Na categoria Livro-Reportagem nenhum trabalho foi inscrito. Lançado há 12 anos, o Prêmio IAP de Artes Literárias é um dos mais importantes na área editorial do Pará, e já editou 59 obras, de Carlos Corrêa Santos, Aílson Braga, Dand Moreira, Daniel Leite, Nilson Oliveira, Guaracy de Brito Jr., Antônio Juraci Siqueira, Aldrin Figueiredo e João Bosco Maia, entre outros.

Os gêneros e composições literárias receberam nomes de importantes escritores paraenses: Prêmio Nazareno Tourinho, para Dramaturgia; Prêmio Maria Lúcia Medeiros, para Conto; Prêmio Haroldo Maranhão, para Romance; Prêmio Vicente Salles, para Ensaio; Prêmio Max Martins, para Poesia; Prêmio Heliana Barriga, para Literatura Infanto-Juvenil; Prêmio Euclides “Chembra” Bandeira, para Livro-Reportagem, e Prêmio José de Campos Ribeiro, para Memorialística.

Confiram os títulos dos autores premiados:

Prêmio Nazareno Tourinho
1. João Bosco Maia da Silva - “Após as Três Badaladas”
2. Anastácio Trindade Campos -  “A Visita do Santo Ofício ao Grão Pará”

Prêmio Maria Lúcia Medeiros
3. Jorge Wellington Corrêa Quadros – “Conspiração do Verbo ou o Formigueiro”
4. Franz Kreüther Pereira – “São Jorge & o Astronauta e outros contos”

Prêmio Vicente Salles
5. Josebel Akel Fares - “Um Memorial das Matintas Amazônicas”

Prêmio Max Martins
6. Felipe Bruno Silva da Cruz - "Acúmulo”

Prêmio Heliana Barriga
7. Daniel da Rocha Leite – “Vindo do Mar”
8. Antonio Edvandro Pessoa de Oliveira - “O Dia de Presente”

Prêmio José de Campos Ribeiro
9. Álvaro Luiz Vinente de Souza - “Agosto e outras memórias”




Eudiracy Silva, o novo presidente da APLJ

O advogado Eudiracy Alves da Silva, especializado em direito administrativo, foi eleito presidente da Academia Paraense de Letras Jurídicas. Um dos mais respeitados e admirados integrantes da classe jurídica, vigiense que adora preservar as raízes que o ligam à sua terra natal, ele começou a carreira como escriturário da Prefeitura Municipal de Belém, em 1952. Formado em Direito, passou a oficial de gabinete do prefeito Celso Malcher, em 1954. Em 1956, cursou Administração, em um projeto denominado 'Cérebros para a América Latina', da ONU. Foi consultor geral e secretário de Assuntos Jurídicos do município de Belém, conselheiro e vice-presidente da OAB-PA, fundador e presidente do Rotary Clube Belém (86/87), e é membro da Academia de Estudos Rotários. A trajetória de Eudiracy Silva, vitoriosa e ética, sem dúvida, justifica a acertada escolha dos juristas parauaras. Eu aplaudo. 

O Pará está pagando a conta do Sudeste

"Ou a gente fala da questão técnica e fica com peninha da Celpa, ou estuda a questão energética sob a ótica política e toma uma decisão. Este aumento é uma excrescência. Eu lamento não ter visto nenhuma manifestação da nossa bancada federal nem do Senado. Está todo mundo calado. O que é que está por trás disso?" O discurso contundente da vereadora Marinor Brito(PSOL), representante da Câmara Municipal de Belém, deu o tom na audiência pública, ontem, realizada na Alepa a fim de deliberar acerca de providências as serem tomadas para o enfrentamento do tarifaço imposto pelo governo federal, via Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), cuja ausência, por sinal, foi muito criticada na reunião.

Ficou decidido que o presidente da Casa, deputado Márcio Miranda(DEM), vai liderar uma comissão de deputados do Pará que irá a Brasília, no próximo dia 29, tentar negociar com o Ministério das Minas e Energia e a Aneel a revisão do reajuste médio de 34,4% na tarifa elétrica do Pará, que entrou em vigor desde o último dia 7. Nenhum deputado federal ou senador parauara participou da audiência pública.

Representantes de diversos setores debateram o tema e sugeriram medidas para curto e médio prazo. O presidente da Alepa, Márcio Miranda, informou que a direção da Aneel justificou a ausência alegando que às terças-feiras não seria possível cumprir agenda externa, pois este é o dia da reunião ordinária do órgão. Mas a vereadora Marinor Brito lembrou que a Câmara promoveu audiência pública para debater a questão em uma quinta-feira e a Aneel também não foi e nem se deu ao trabalho de justificar. Vários parlamentares criticaram a postura da agência reguladora. "É uma falta de respeito não mandar sequer um representante. Não é possível que uma instituição como a Aneel vire as costas para um Estado superavitário na produção de energia como o Pará e essencial na alimentação do Sistema Interligado Nacional. O Estado já tem a tarifa mais alta do País, segundo informa o próprio site da Aneel, além de ser uma das mais caras do mundo", bateu o deputado Edmilson Rodrigues (PSOL). 

O deputado Sidney Rosa (PSD) fez ver que o aumento da tarifa pode gerar uma crise na economia paraense e na administração das próprias prefeituras municipais. "Enquanto aqui no Pará o reajuste foi de 34%, no Espírito Santo e em Santa Catarina, Estados que fazem parte do Brasil desenvolvido, tiveram reajuste de 22%. Isso não me parece razoável e muito menos justo com o Pará, que é um dos maiores que exportadores de energia do País", salientou. 

O diretor de relações institucionais da Equatorial/Celpa, Mauro Chaves, apresentou uma planilha sobre composição da tarifa da energia elétrica no Brasil, enfatizando que apenas 1,61% do reajuste da parcela de 34,96% ficarão com a Celpa. O maior percentual, de 29,35%, será destinado ao aumento das despesas com compras de energia. Outros 3,99% fazem referência ao reajuste dos encargos setoriais e pagamento das transmissoras, sobre os quais a concessionária não tem ingerência. De cada R$ 100 da tarifa, apenas R$21,20 ficam com a Celpa, frisou o executivo. "No atual modelo de gestão do setor elétrico no País são realizados leilões, nos quais a Celpa não diz de quem quer comprar energia e nem quanto pretende pagar. Só o quantitativo de energia que precisa comprar", justificou, atribuindo a origem dos problemas, dentre outros fatores, às "negociações forçadas" realizadas pelo governo federal na época da antecipação da renovação das concessões das empresas do setor elétrico, em 2012, como modo de forçar uma queda no preço da energia para famílias e empresas; a ausência de chuvas na região Sudeste que ensejou a redução dos reservatórios das hidrelétricas e aumento no uso das termelétricas, mais poluentes e dez vezes mais caras; e o atraso em diversas obras, inclusive de geração de energia eólica, que não atendem o consumidor por inexistência de linhas de transmissão. E advertiu que os empréstimos às distribuidoras de energia, anunciados como alternativa para mitigar a crise, também irão fomentar novos aumentos em todo o País. "Sem eles, o reajuste seria muito maior. Mas esta é uma conta que vai vir nos próximos anos", adiantou Mauro Chaves, ressaltando que se não fosse essa situação conjuntural o reajuste seria menor do que qualquer inflação. 

O diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Roberto Sena, alertou para as consequências funestas que ainda estão por vir, que se nada for feito, porque haverá um efeito duplo do reajuste: "O consumidor vai ser penalizado duas vezes. Uma com a conta de energia em si, que é o reajuste mais alto desde a privatização, e outra com o efeito cascata que vai ocorrer, quando ele for ao supermercado, por exemplo, porque o preço dos produtos também vai subir.

Já o presidente do Sindicato dos Urbanitários, Ronaldo Romeiro Cardoso, aproveitou para fazer uma grave denúncia: se os milhões de consumidores paraenses ligarem depois das 20h para o call center da Celpa para fazer alguma reclamação ou pedir algum serviço, a ligação vai cair no Maranhão, porque o call center é terceirizado e a empresa reduziu 300 postos de trabalho. Mais: em recente evento a Celpa anunciou que em 2015 o aumento será, no mínimo, de 15%. Também reforçou o fato de que foi a Equatorial/Celpa que pediu 37,07% este ano, mas ninguém acessa a caixa preta da empresa, não há quem fiscalize para saber se onde e como os recursos estão sendo aplicados, a fim de evitar novas surpresas, como a que causou a recuperação judicial da concessionária. 

Carlindo Lins, presidente do Conselho Nacional de Consumidores, frisou a necessidade do fator equalização da tarifa, a fim de corrigir a injustiça de o Pará arcar com os custos do Sul/Sudeste.

Somos um estado gerador e exportador de energia elétrica, mesmo assim somos obrigados a pagar mais que todos os estados na conta, então é necessária a mobilização da sociedade contra mais esse desrespeito dos governos, que praticam no nosso Estado um regime ‘colonialista’ em pleno século XXI. Não é possível que pela seca dos reservatórios no sul e sudeste do Brasil, que levou ao uso de termoelétricas no ano passado para evitar o apagão, nós aqui do Pará é que temos de pagar essa conta, eles é paguem, quem consumiu óleo diesel foram eles e não nós. Temos mudar a legislação federal e alterar os critérios de divisão dessa conta por uma questão de justiça com o povo do Pará”, protestou o deputado Nélio Aguiar(DEM).

O deputado Raimundo Santos(PEN), ouvidor da Casa, disse que seu partido já está tomando providências e repudiou o sistema, que considera perverso: "O Pará tem dado imensa contribuição ao Brasil à custa de enormes sacrifícios, com a barragem de seus rios, remoção de populações tradicionais e impactos ambientais e sociais gravíssimos, não recebe a devida compensação em forma dos royalties e ICMS e ainda por cima seu povo agora é açoitado por um aumento escorchante. Tal escalada de opressão não pode prosperar."

Para o deputado Márcio Miranda, os argumentos da Celpa explicam a conjuntura do setor elétrico do País, a composição da tarifa, mas não como foi obtido o maior percentual de reajuste do País, mesmo o Pará consumindo só 20% da energia que produz e sem ter sofrido estiagem. "Não podemos nos omitir deste debate. O povo do Pará não pode ser penalizado desta forma. Por isso, vamos fazer o que for preciso para tentar reverter este reajuste, a curto, a médio e a longo prazo.

Uma coisa é certa: o povo tem que ir para a rua.

Blue Monday e recitais em Belém

Nesta sexta, estreiam no XIII Festival de Ópera do Theatro da Paz “Blue Monday" e “Um Americano em Paris”, do compositor norte-americano George Gershwin. Ópera curta e leve, apesar de se tratar de uma tragédia de amor, “Blue Monday" traz elementos do jazz e do blues e mergulha no universo da cultura negra. O elenco, aliás, é integrado apenas por afrodescendentes, cuidado do diretor Glaucivan Gurgel de modo a criar uma atmosfera fiel aos bares suburbanos do Harlem da Nova York dos anos 20: os tenores Tiago Costa e Jean William, a soprano Marly Montoni, o barítono David Marcondes, o baixo Raimundo Nascimento (está com pneumonia, não foi liberado pelo médico e será substituído por Idaías Souto Jr.) e o barítono Andrey MiraA Orquestra Jovem Vale Música será regida pelo maestro titular, Miguel Campos Neto. A concepção cenográfica é de Lília Chaves e Maria Sylvia Nunes. Os figurinos são assinados por Hélio Alvarez, iluminação de Rubens Almeida e visagismo de André Ramos. A direção geral e artística é de Gilberto Chaves e direção artística de Mauro Wrona. A cantora lírica Gabriella Florenzano, que está em Belém e assistiu ao ensaio, anteontem à noite, garante que a escolha foi acertada e estão todos estupendos.

No domingo, 24, o tenor Atalla Ayan faz recital no Theatro da Paz acompanhado pela pianista Marília Caputo. Parauara festejado na Europa e EUA, Atalla Ayan também se apresenta no dia 7 de setembro, na Igreja de Santo Alexandre, com a pianista Adriana Azulay, sempre às 20h. Os ingressos custam R$ 20 (com direito a meia-entrada).

A programação oferece, no dia 4 de setembro, um recital em homenagem aos 150 anos nascimento de Richard Strauss, com a soprano argentina Rosana Schiavi, na Igreja de Santo Alexandre. A ópera “Otello”, de Giuseppe Verdi, terá récitas nos dias 20, 22 e 24.  Os ingressos para os espetáculos de setembro começam a ser vendidos no dia 1º. O encerramento, com um concerto ao ar livre, será no dia 27 de setembro, com participação de Gabriella Florenzano.

Ciclistas do bem doam lenços à AVAO

Vejam que iniciativa linda dos ciclistas do bem! As crianças, adolescentes, adultas e idosas em tratamento de câncer receberão lenços, um adereço que melhora a autoestima e reforça a luta contra essa terrível doença. No próximo dia 1º de setembro, pedale na solidariedade e entregue sua doação à AVAO, às 20h, no CAN, em frente à Basílica de Nazaré. 

Proteção da Orla de Belém

O MPF e o MPE-PA promovem hoje o workshop A Proteção Urbanística, Ambiental e Patrimonial da Orla de Belém, a fim de levantar dados e propostas de soluções sobre a situação urbanística, ambiental, jurídica e patrimonial da orla da cidade, no continente e nas ilhas.  Será das 14 h às 19 h, no auditório do MPE-PA (rua João Diogo, 100, Cidade Velha). As inscrições são gratuitas e realizadas no próprio evento. Certificados de participação serão enviados a todos os presentes. Haverá transmissão online via site do CEAF/MP. Acesse aqui.

A regularização dos espaços litorâneos, onde há grande faixa de terras públicas sob domínio da União, é uma ação essencial para a defesa e proteção dos recursos naturais existentes e para o tratamento de conflitos nesses territórios, defendem os dois MPs, entendendo que o debate sobre o tema exige articulação integrada entre órgãos públicos das diversas esferas e níveis de governo e a sociedade interessada. Na programação estão previstos painéis com representantes do poder público, da comunidade científica, da iniciativa privada e Ongs. Ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão, do Meio Ambiente e do Turismo, Marinha, Ibama, secretarias municipal e estadual de Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão, Codem, coordenação nacional do Projeto Orla, pesquisadores, organizações sociais ligadas à cidadania, à preservação do patrimônio histórico, ao turismo e ao mercado imobiliário, entre outros, estão convidados. O evento tem apoio da Alepa, associações que integram o Movimento Orla Livre, Câmara Municipal de Belém, Comissão de Meio Ambiente da OAB-PA, Prefeitura de Belém, Unama e UFPA. 

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Santarém e Oriximiná recebem obras


Escola Tecnológica de Oriximiná. Fotos Rodolfo Oliveira
Entrega do helicóptero em Santarém. Foto Sidney Oliveira
O ginásio poliesportivo de Santarém, projeto voltado para o conceito de obra verde, com a redução de até 80% no uso de madeira, que será capaz de receber 5,1 mil pessoas em acontecimentos voltados não só ao esporte, mas também à cultura e lazer, já está com 60% de sua estrutura pronta. As obras foram vistoriadas hoje pelos secretários especiais de Estado de Proteção e Desenvolvimento Social e de Gestão, Adnan Demachki; de Promoção Social, Alex Fiúza; e de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes, que entregaram R$ 2,2 milhões em cheques moradia a 194 famílias, além do helicóptero “Guardião 2”, modelo Esquilo B2, que irá atuar em Santarém e nos municípios próximos, auxiliando em operações de segurança pública e em resgate de vítimas e pacientes.  

Com investimento de R$ 10 milhões, o ginásio será o maior do gênero em todo o oeste parauara. A praça esportiva terá duas bilheterias, recepção, saguão de entrada, setor de apoio ao turista, duas lanchonetes, academia de ginástica e academia exclusiva para atletas, sala de arbitragem, estacionamento para 500 carros e palco de 350 metros quadrados e três metros de altura, que poderá abrigar grandes shows. Haverá salas voltadas ao atendimento de segurança, saúde e projeto de acessibilidade, em conformidade aos critérios preestabelecidos pelo Ministério do Esporte e prefeitura. 

As obras do estádio Colosso do Tapajós também estão 60% concluídas. No total, 150 homens trabalham na colocação das estruturas de concreto armado das arquibancadas. R$ 24 milhões estão sendo injetados pelo governo do Estado. O estádio vai ganhar novo centro de treinamento para atletas, vestiários, banheiros para o público, espaço para restaurantes, áreas para lanchonetes, novo sistema de iluminação, estacionamento e elevador que servirá para facilitar o acesso de pessoas com necessidades especiais, à tribuna de honra e à cabine de imprensa. 

A pavimentação de  16 Km de ruas no município, entre elas a Av. Moaçara - que vai até a Santarém/Cuiabá e possibilita interligação ao aeroporto e outras localidades - e Av. Dom Frederico Costa, opção de entrada e saída para o centro da cidade e mais de oito bairros periféricos de Santarém, também foi vistoriada pela comitiva do governo do Estado, junto com o prefeito Alexandre Von(PSDB).

A Escola Tecnológica Profissionalizante de Santarém fica pronta até dezembro deste ano. Com investimento de R$ 5 milhões, a unidade – construída pelo governo do Estado em parceria com o governo federal, via Programa Brasil Profissionalizado – vai oferecer 1,2 mil vagas. Há 17 estabelecimentos desse tipo funcionando no Pará, e mais nove em construção. 

À tarde, a comitiva seguiu viagem para inaugurar a Escola Tecnológica de Oriximiná, com capacidade para atender 1.440 estudantes, que inicia as atividades com a oferta de dois cursos – agropecuária e mineração. O processo seletivo deverá ser feito até o fim deste ano. Serão programados, também, cursos de formação inicial e continuada com 160 h até dezembro. A implantação da escola foi possível graças a parceria entre o governo do Estado e o governo federal. Técnicos da Seduc atuam na sensibilização de lideranças empresariais e da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) para agregar atividades produtivas e cursos paralelos à Escola Tecnológica. A construção segue o padrão do MEC: doze salas de aula, seis laboratórios básicos (biologia, química, física, matemática, línguas e informática), auditório, biblioteca, teatro de arena, refeitório, área de vivência, quadra poliesportiva coberta e dois grandes laboratórios especiais para preparação de jovens para o mercado de trabalho, a partir das especificidades regionais. A unidade atenderá também estudantes de Óbidos, Terra Santa, Juruti, Faro, Curuá e Alenquer.

Outra obra de grande significação para Oriximiná é o sistema de captação de água do rio Trombetas, parte de um grande projeto de ampliação e melhoria do Sistema de Abastecimento de Água de Oriximiná, que está sendo executada em parceria entre os governos estadual (via Cosanpa) e federal (via Ministério das Cidades). Mais de R$11 milhões estão sendo injetados.

A construção da Unidade Integrada Pro Paz de Oriximiná, está com inauguração prevista para o final outubro ou início de novembro deste ano. Vinte e três UIPPs já foram entregues e outras 54 estão em processo de licitação e em fase de construção em todo o Pará. Os secretários entregaram, ainda, Cheques Moradia para 61 famílias do município, no total de R$ 643,6 mil.

A violência de cada dia, dia após dia

O médico endoscopista Antonio Cerejo de Almeida por pouco não foi vítima fatal, hoje, do assalto tipo "saidinha", ao sair do banco Santander localizado em frente ao CAN, em Belém, por volta das 16h, portando R$30 mil. Ao reagir à abordagem, ele foi baleado pelos bandidos, felizmente no ombro. Prontamente socorrido no hospital Maradei, que fica ao lado, já foi operado e passa bem. Os meliantes, que estavam em uma moto, fugiram. A polícia verificou as câmeras de segurança e está no encalço deles.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Seminário sobre atividade energética no PA

O procurador-geral de Justiça, Marcos Antônio Ferreira das Neves, promoveu hoje um debate no auditório do MPE-PA, em Belém, sobre os impactos socioambientais da atividade energética, com a participação de estudiosos e especialistas de instituições públicas e privadas. 

O promotor Raimundo Moraes chamou a atenção para as compensações e responsabilidade civil dos grandes empreendimentos. Disse que "é preciso melhorar as compensações para o Estado pela exploração dos recursos minerais, florestais e hídricos. Também o Estado não está cobrando a compensação socioambiental, que é o princípio do poluidor pagador. A responsabilidade civil é a decorrente de danos, que exige indenização, como quando há um acidente. Se já está caracterizado um dano tem de haver indenização. A responsabilidade civil independe das compensações". 

O engenheiro eletrônico, físico e matemático Nicias Ribeiro, ex-secretário extraordinário de energia do Estado, fez palestra sobre o “Panorama da questão energética no Estado do Pará”, com abordagem histórica, contextualizada no cenário nacional e internacional, desde a época do regime militar. No retrospecto elencou detalhadamente como se deu cada ação na esfera da política energética nos governos Emílio Garrastazu Médici - com a implantação do projeto Radam; Ernesto Geisel, com a construção de UHE-Tucuruí; e de João Batista Figueiredo, com a explosão do preço do petróleo no mundo árabe e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP. Quem lembra?). Comentou ainda a decisão do governo federal de concluir as UHE de Balbina(AM) e Tucuruí(PA), a fim de atender os grande projetos econômicos como a Albrás em Barcarena, e a Mineração Rio do Norte, na região de Trombetas, no município de Oriximiná, região do Baixo Amazonas. Explicou que o linhão de Tucuruí só beneficiou parte do nordeste e sudeste do Pará e que hoje o governo federal, em parceria com o estadual, depois do linhão do Tramoeste, está ampliando a rede energética com o linhão do Marajó, que deverá atender tanto o arquipélago quanto o Estado do Amapá. Abordou, ainda, a construção da UHE-Belo Monte, na região do Xingu. 

O procurador da República Felício Pontes traçou um panorama acerca do direito ambiental e a ação do MPF na questão energética regional, com ênfase em questões que ele classifica como usurpação e ameaças constantes aos direitos das populações tradicionais da Amazônia: índios, caboclos e ribeirinhos. “Quais os benefícios que os municípios adquiriram com a instalação de hidrelétricas em seus territórios?”, indagou o procurador. “Apontem um único município, somente um que obteve melhorias na qualidade de vida”, desafiou. Felício discorreu sobre os impactos socioambientais decorrentes da UHE-Belo Monte. “Hoje a discussão não é para saber se Belo Monte vai ser construída, ou não. A discussão agora é sobre quais os impactos agora e no futuro sob o ponto de vista econômico que Belo Monte vai gerar”, lembrou, advertindo que está prevista a construção de 153 hidrelétricas na Amazônia, cinco delas nos rios Tapajós e Jamanxim e outras no Teles Pires, no Pará e Mato Grosso, que ameaçam comunidades indígenas e reservas ambientais, parques e florestas nacionais. 

O diretor executivo de estratégia e regulação das empresas do grupo Equatorial, engenheiro eletricista Tinn Amado, palestrou sobre “A questão energética no Estado do Pará sob a ótica da Celpa”.

Com o tema “Aplicação de recursos de compensação ambiental, social e econômica oriundos das construções de hidrelétricas instaladas em rios paraenses”, o vice-governador do Pará, Helenilson Pontes, levantou a questão da competência de órgãos federais, em especial do Ibama, quanto ao processo de licenciamento de projetos que causam impactos ambientais. Relatou que, em recente reunião, questionou os critérios de análise de impactos socioambientais no que tange ao processo de licenciamento de projetos na construção de hidrelétricas na Amazônia Oriental – Pará, especialmente em rios federais, e as condicionantes relativas aos impactos ambientais. Segundo Pontes, o Ibama argumenta em sua defesa que só tem competência para licenciar e, por isso, não discute a questão das condicionantes, que diz que deve ser debatida em Brasília com o governo federal e as empresas do setor elétrico. Helenilson falou que os royalties constituem verdadeira caixa preta, porque nunca se sabe qual o montante de recursos de que as empresas dispõem, por exemplo, para garantir as compensações em relação ao passivo ambiental. "Ninguém consegue acessar esses dados, nem os governos dos municípios nem dos Estados mineradores. E relatório do TCU diz que há sonegação no processo de arrecadação das empresas do setor elétrico."

Helenilson citou a competência constitucional e os dispositivos legais para a cobrança de taxas no caso da exploração de recursos elétricos e minerais nos Estados e municípios e questionou o porquê de a energia não pagar o ICMS como outro setor qualquer. E desabafou: “Temos que mudar essas regras ou então vamos ficar conversando entre nós”. Disse ainda que no Pará as empresas do setor elétrico se recusavam a se cadastrar nos órgãos estaduais. E que foi uma luta reverter essa situação, porque as empresas que atuam no setor aqui na região só querem prestar contas com o governo federal. Defendeu, ainda, que a outorga tem que ser revista pelo governo estadual de forma mais contundente: "Está na hora de colocar o pé na parede". E levou um susto ao ouvir de um gestor público do setor elétrico que o modelo energético atual não contempla eclusas nos rios da Amazônia. "E olha que sem a energia dos rios da Amazônia o Brasil se apaga", alfinetou. 

O doutor em Ciências pela USP Hygino Sebastião Amanajás de Oliveira abordou também a “Aplicação de recursos de compensação ambiental social e econômica oriundos das construções de hidrelétricas instaladas em rios paraenses”. A secretária de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, Maria Amélia Enríquez, falou sobre “As hidrelétricas em estudo no Pará e as estratégias para o controle dos impactos socioambientais” e discorreu sobre o contexto geral da socioeconomia do Pará e das regiões de estudo das novas usinas com foco para o Xingu e o Tapajós; as UHEs em estudo, seus potenciais impactos socioeconômicos e a necessidade de uma agenda de desenvolvimento territorial integrada para minimizar impactos e maximizar benefícios.

O seminário “Atividade Energética no Estado do Pará” foi executado por meio do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CAO/Ambiental), coordenado pelo promotor Nilton Gurjão; do CAO/Cível, coordenado pela promotora Fábia de Melo-Fournier; e Do Centro de Estudos de Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), dirigido pelo promotor Raimundo Moraes. 

Tarifaço em debate na Alepa amanhã

A Alepa realiza amanhã, a partir das 9:30h, audiência pública destinada a debater o reajuste de energia elétrica no Pará, de 34,4% para os consumidores residenciais e 36,4% no setor industrial. O presidente da Casa, deputado Márcio Miranda(DEM), que tomou a iniciativa, convidou autoridades locais e nacionais e representantes de federações de trabalhadores e patronais, associações e conselhos de classe, além da Celpa e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), entre outras instituições e órgãos ligados ao setor. Com isso, a rotina de pauta dupla no período eleitoral foi alterada, e as duas sessões, uma ordinária e outra extraordinária, anteriormente previstas serão substituídas pela tentativa de encontrar soluções para que o percentual não seja aplicado ou pelo menos haja uma redução no tarifaço. Márcio Miranda considerou o aumento na conta um “desastre” para a economia do Pará.

STF reitera liberdade da crítica jornalística

O ministro Luiz Fux, do STF, suspendeu liminar do Judiciário carioca que determinara a retirada, no prazo de 24 h, de notícia veiculada no blog Radar on-line, do jornalista Lauro Jardim, hospedado no portal da revista Veja, em ação de reparação de danos ajuizada pelo advogado João Tancredo,  referente à notícia intitulada “A batalha da indenização” e qualquer outra ofensiva ao autor da ação, sob pena de multa diária de R$ 500. O juízo decidira, ainda, que Jardim e a Abril Comunicações ficavam impedidos “de autorizar ou promover quaisquer outras inclusões de igual teor”, também sob pena de multa, no valor de R$ 5 mil. Pois bem. Na reclamação ajuizada perante o STF, o jornalista e a Abril sustentaram que não tiveram a oportunidade de “demonstrar a licitude da reportagem, seja em razão da veracidade dos fatos de incontestável interesse público divulgados, seja pela legitimidade da crítica contida na matéria publicada”. O relator da reclamação, ministro Luiz Fux, lecionou, em sua decisão liminar que, no julgamento da ADPF 130, o STF assentou que “a crítica jornalística, pela sua relação de inerência com o interesse público, não é aprioristicamente suscetível de censura, mesmo que legislativa ou judicialmente intentada”.

Aos políticos e adevogados que tentam censurar jornalistas, recomendo a leitura da decisão nos autos da RCL 18.290. E da Constituição Federal de 1988, por óbvio.

MP quer expulsar PMs sequestradores

O promotor de Justiça Militar Armando Brasil Teixeira expediu, hoje, Portaria para abertura de Conselho de Disciplina em Inquérito Policial Militar a fim de expulsar os três PMs acusados de sequestrar um empresário na rodovia Transcoqueiro, em Belém, anteontem, para solicitar resgate no valor de R$6 mil. De acordo com o major Bahia, da Corregedoria da PM, o dono de um restaurante foi abordado pelos policiais, que estavam de folga e à paisana, dentro do seu próprio estabelecimento.  Os familiares e testemunhas que estavam com a vítima ligaram imediatamente para o disque denúncia do Centro Integrado de Operações (Ciop) e informaram o local onde o valor seria pago. Duas viaturas da PM foram deslocadas para o ponto combinado. Na chegada dos policiais com a vítima, houve tiroteio e um dos sequestradores foi baleado no ombro e encaminhado para o Hospital Metropolitano, em Ananindeua. O outro prestou depoimento na Delegacia de Crimes Funcionais (Decrif), da Polícia Civil, e ontem de manhã foi para a penitenciária Anastácio das Neves, em Santa Isabel do Pará. Ambos estão autuados por extorsão mediante sequestro. O terceiro está foragido.

Tecnologia japonesa em pauta na Alepa

O novo cônsul principal do Japão no Pará, Masahiko Kobayashi, fez visita de cortesia ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda(DEM). Conversaram animadamente sobre a presença japonesa no território paraense e as possibilidades de parceria, principalmente na área de Ciência e Tecnologia e, especificamente, energia solar, sugerida por Márcio Miranda, dada a premência da hora, diante do tarifaço da energia elétrica que está afligindo a população parauara, situação diante da qual a Alepa está mobilizada, em busca de alternativas de solução ao problema. O diplomata ganhou de presente a publicação "Coletânea dos 190 anos do Poder Legislativo Paraense", lançada no final do ano passado pela Mesa Diretora da Casa.

É preciso dar nomes aos bois

A força-tarefa do Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará), Procon-PA e Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que fiscalizou 102 postos de combustíveis de Belém, Ananindeua e Castanhal, desde terça-feira (12), interditou três deles. Um localizado na Bernardo Sayão, em Belém, por não ter autorização da ANP para funcionar. Dois pela fraude conhecida como “bomba baixa” (quando o volume fornecido é inferior ao marcado na bomba e pelo qual o consumidor paga), em Castanhal (bomba de gasolina) e em Belém (bomba de etanol). Mas o distinto consumidor agradeceria se os órgãos fiscalizadores informassem os nomes e a localização exata desses estabelecimentos. Isto sim seria relevante e inibiria a prática nefasta.

Chikaoka e o olhar fotográfico parauara

Chikaoka na fachada da galeria Kamara Kó. Foto: Tamara Saré
"Navegante da Luz", nas palavras de Marisa Mokarzel, que assim intitulou seu livro; "O Iluminado Chikaoka - do jornalismo à arte educação, um ícone da arte fotográfica brasileira", por Hans Georg, na ed. 38 da Revista Digital Photografer. O fato é que o premiadíssimo Miguel Chikaoka, paulista radicado no Pará há mais de trinta anos, mestre e referência ímpar da fotografia, é idealizador da Associação Fotoativa, que acaba de completar três décadas influenciando gerações parauaras.


Na sequência das comemorações, que no sábado deram o costumeiro colorido ao Largo das Mercês, o Café Fotográfico, amanhã, Dia Mundial da Fotografia, no Centro Cultural Sesc Boulevard, às 19 h, compartilha as reflexões do diretor e coreógrafo Danilo Bracchia a partir da pesquisa em dança e fotografia. Danilo é paulista de Itatiba e iniciou sua carreira artística em Belém do Pará, em 1993, com Fotografia (Miguel Chikaoka), Teatro (Olinda Charone) e Dança (Ricardo Risuenho), já ganhou diversos prêmios e bolsas nacionais e internacionais, estuda na Europa com Nina Dipla, assistente coreográfica e bailarina de Pina Bausch. Atualmente, trabalha como preparador corporal em companhias de teatro de Belém, e está montando um espetáculo com o Prêmio Funarte Petrobrás de Dança Klauss Vianna, e desenvolvendo pesquisa através da Bolsa em Artes pelo IAP obtida em 2014. 

O Café Fotográfico, evento mensal da Associação Fotoativa, este ano em parceria com o Centro Cultural Sesc Boulevard, torna acessível ao público pesquisas acadêmicas, experiências colaborativas, projetos de arte e educação ligados à linguagem fotográfica e audiovisual. A entrada é gratuita. Também vai ter a Oficina Primitivo da Fotografia com Ionaldo Rodrigues nos próximos dias 26, 28 e 30 de agosto, abordando uma seleção de imagens e questões desenvolvidas na criação e aperfeiçoamento de processos fotográficos pela geração de pioneiros do século XIX. Na terça e na quinta, das 19h às 21h e sábado das 9h às 12hs, no Fórum Landi (Praça do Carmo – Cidade Velha), investimento de R$80. Só há 15 vagas.


As atividades da Fotoativa são pujantes e merecem todo apoio. Desde 2001, primeiro na Praça do Rosário e a partir de 2005 na Praça das Mercês, a Associação vem realizando o Largo Cultural. Com a ocupação cultural de espaços públicos através de fotovarais, projeções, teatro e música, o projeto difunde cultura e consciência patrimonial. Já o Colóquio Fotografia e Imagem é um projeto anual promovido desde 2002 pela Fotoativa em parceria com universidades e instituições culturais. Através de palestras, mesas-redondas, oficinas e exposições, propõe reflexão sobre a relação entre a imagem contemporânea e a fotografia em diversos campos do conhecimento. O ponto de cultura Olhos de Ver Belém foi um projeto idealizado pela Fotoativa no âmbito do programa Cultura Viva do Ministério da Cultura, protagonizado pelos moradores e trabalhadores do centro histórico de Belém, vizinhos do Casarão Fotoativa no entorno do Ver-o-Peso. Inspirada no Worldwide Pinhole Photography Day, em 2002 a Fotoativa lançou o Pinholeday Belém, para organizar e facilitar o envolvimento do público parauara. Desde então, oferece anualmente oficinas, palestras e jornadas reunindo praticantes e iniciantes em torno da fotografia pinhole, que culminam com mostras e registros audiovisuais. O Pinholeday pode representar um momento de contemplação e reflexão num mundo em que as pessoas têm cada vez menos tempo para isso e onde as tecnologias se multiplicam e se tornam obsoletas em ritmo acelerado. 


A Fotoativa acredita que o ensino da arte na escola deve propiciar a vivência das linguagens expressivas e a criação de formas de expressão oriundas de sínteses emocionais e cognitivas. Nesse sentido, ao longo do ano passado, o projeto Fototaxia se desenvolveu em parceria com a rede municipal de Educação de Belém e com apoio do Programa Arte na Escola da UFPA. Nesse contexto, a luz como elemento vital e objeto de estudo propiciou leituras e abordagens transversais que potencializaram práticas pedagógicas transdisciplinares, estimulando a busca de soluções aos problemas do cotidiano com criatividade.

domingo, 17 de agosto de 2014

As mumunhas do jogo político

A pesquisa do Ibope para o governo do Pará, divulgada ontem à noite pela TV Liberal, confirma o que todos os que observamos o cenário político já sabíamos: há um empate técnico entre o governador Simão Jatene(PSDB) e Helder Barbalho(PMDB): Jatene com 24% e Helder 22% na espontânea e Helder 38% e Jatene 37% na estimulada. Só faltava conhecer o patamar. A dedução é simples, para quem conhece as mumunhas do jogo: se alguém estivesse na frente já teria alardeado a vantagem. Mas todos, embora fizessem constantes sondagens, mantinham-se em mutismo. Só que, em alguns casos, o silêncio é revelador.
 
É claro que cada qual usará perante a opinião pública o resultado desta pesquisa como lhe convier. Contudo, o jogo está apenas no início e será curtíssimo. A campanha eleitoral na TV e rádio começa nesta terça-feira e nela cada um vai ter o que mostrar. Ou não. Trabalho, ideias, realizações, baixarias. E é aí que as coisas começam a se definir perante o distinto eleitor. Parece evidente, entretanto, que a fatura seja decidida no primeiro turno, em placar apertado, e que o fiel da balança seja a região metropolitana de Belém, a mais povoada do Pará e que, naturalmente, concentra mais eleitores, face a inexistência de uma terceira via (todos os demais candidatos figuram com apenas 2% na espontânea, e na estimulada Marco Antônio(PCB) e Zé Carlos(PV) estão com 3%, Elton Braga(PRTB) e Marco carrera(PSOL) com 2%. Indecisos somam 9% e votos brancos e nulos, 6%).
 
Na disputa para o Senado,  Paulo Rocha (PT) e Mário Couto (PSDB) têm 16%; Duciomar Costa (PTB) 14% e Jefferson Lima (PP) 13%. Mas Paulo Rocha e Duciomar estão com suas candidaturas indeferidas pelo TRE-PA. Helenilson Pontes (PSD) tem 4%; Ângela Azevedo (PSTU) 3%; Eliezer Barros (PRTB), Pedrinho Maia (PSOL) e Renato Rolim (PCB) 1% cada.
 
Para a Presidência da República, obviamente, a pesquisa está prejudicada diante dos últimos acontecimentos e só com a definição de quem sucederá Eduardo Campos e a definição de sua vice é que o novo cenário se desenhará.
 
Até lá, exercitaremos a futurologia.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Marco Carrera fica em Belém

Fotos: Marcelo Seabra
  
Fotos: divulgação do candidato

O candidato a governador Marco Carrera, da coligação "Frente de Esquerda Mudança Pra Valer" (PSOL e PSTU), fez caminhada hoje de manhã no Conjunto Olga Benário, no bairro de Águas Lindas, em Belém. Edmilson Rodrigues (PSOL), estava junto. Na ocasião, Carrera falou sobre a implantação de ajuda aos comerciantes da área. “Os comerciantes aqui do Águas Lindas podem se beneficiar muito com a volta de políticas de geração de emprego e renda, como o Banco do Povo para ampliar seus negócios e poder sustentar suas famílias dignamente”, apontou. Amanhã, ele participa de reunião com o conselho de representantes do Sintepp, na UEPA (Tv. Enéas Pinheiro, entre João Paulo II e Perimetral. No domingo, às 9h, faz caminhada no Ver-o-Peso.

Reforçando a característica militante de sua campanha, Carrera diz que prefere o corpo-a-corpo. Com uma militância aguerrida, o partido tem percorrido diversas cidades, debatendo os problemas do Estado e apresentando propostas para mudar a vida do povo parauara.

Hoje de manhã, no bairro de Águas Lindas, nos limites entre Belém e Ananindeua, foi assim. Durante a caminhada, criticou a corrupção, defendeu programas sociais para enfrentar a falta de segurança e conclamou as pessoas a "virar a política pelo avesso".

Helder vai para o Nordeste do Pará


 
 

 Fotos: assessoria do candidato
O candidato a governador Helder Barbalho(PMDB) ficou emocionado em conversa que teve com o "Seu Cafuné", vendedor no Porto do Açaí há 50 anos. Ele lamentou o estado de abandono do local, sem segurança e infraestrutura. Contou que conheceu o pai de Helder, o senador Jader Barbalho, quando era governador, e gosta muito dele. De sua mãe, a deputada federal Elcione Barbalho, disse como ela é guerreira. 

Helder parabenizou os municípios de Abaetetuba e São Caetano de Odivelas que aniversariam neste dia 15 e lembrou que há 191 anos o Pará mudava sua História e aderia à Independência do Brasil. Para ele, 15 é sinônimo de mudança para todos os paraenses
 
Neste sábado, Helder vai ao município de Paragominas, onde será recebido em carreata às 9h no aeroporto. Depois segue para Ipixuna do Pará, onde também haverá carreata, às 15h, com concentração na Av. JK, em frente ao restaurante do Nódoa de Caju. Domingo, vai para Benevides. A carreata sai às 16h da rua Augusto Meira Filho, bairro da Cohab. Depois, em Santa Bárbara do Pará, faz reunião com lideranças da Coligação “Todos Pelo Pará”, às 18h, no Clube Estilos, na rua Castelo Branco, s/n, Centro.

Ontem, o candidato visitou Cachoeira do Piriá e Santa Luzia do Pará, onde fez carreatas, e caminhou no bairro do Jurunas, em Belém.

Simão Jatene visita o Oeste do Pará


 


 Fotos: assessoria do candidato
O governador recandidato Simão Jatene(PSDB) cumpriu agenda em Oriximiná e Óbidos, hoje, e fecha a noite em Juruti. Amanhã é a vez de Alenquer, Monte Alegre e Santarém. 

Em Oriximiná Jatene foi recebido em carreata e reuniu nos clubes Santo Antônio e Clube Coliseu. O cacique-geral Porohxá Wai-Wai, representando as 18 tribos Wai Wai da região, presenteou o governador com um cocar, em sinal de reverência e reconhecimento "pelo que fez pelos povos indígenas, principalmente na área da educação, levando o ensino médio para dentro das aldeias”. O vice-presidente da Associação dos Produtores Rurais do Rio Erepecuru, Orias Gomes, relatou que a produção local cresceu cerca de 80% nos últimos 3 anos, por causa dos investimentos do governo Jatene no setor. “Não me lembro de nenhum governador ter investido tanto no interior como o Jatene. São barcos, escolas, equipamentos, só para citar alguns. Ele mostrou trabalho, por isso acho que ele tem que continuar”, afirmou. 

Em Óbidos, o povo fez festa para Jatene desde o aeroporto. Os motoqueiros da cidade foram conduzindo o carro que levava o candidato até o clube Stylus, onde o grupo “Encanto dos Guaribas” apresentou danças regionais. O prefeito Mário Henrique Guerreiro destacou as obras que o governo Jatene fez no município. “É a primeira vez que a nossa cidade recebe asfalto de qualidade. Ainda tem a construção de duas escolas de ensino médio, a ampliação do sistema de abastecimento de água e a UIPP, só para citar alguns. São muitas obras e por isso no nosso município tremula no alto uma bandeira amarela, a bandeira de Simão Jatene”. 

O vice-governador e candidato ao Senado, Helenilson Pontes(PSD), integra a comitiva que visita a região oeste do Pará. Em Oriximiná, participaram da programação o prefeito Luiz Gonzaga, o deputado federal Nilson Pinto, o deputado estadual Júnior Ferrari, os vereadores Chico Florenzano, presidente do PSDB local, Keké Batista, Ludugero Júnior, Tomé Vanzeler, Neto Andrade, Rereco, Marcelo e Jôse Seixas. Em Óbidos, os representantes da Associação Comercial do Município, o Conselho de Pastores de Óbidos, o ex-prefeito Haroldo Tavares, a candidata a deputada estadual Manoela Charlete e os vereadores Rozinaldo, Pedro Nogueira e Bico de Pato.

Adeus ao jornalista Rubens Silva

"O Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA) lamenta profundamente o falecimento do jornalista Rubens Silva, ocorrido na manhã desta sexta-feira, 15. O jornalista tinha 85 anos e estava internado há um mês no Hospital Beneficiente Portuguesa, onde lutava contra um câncer no estômago. 

Aposentado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT/8ª), Rubens Silva manteve por mais de duas décadas uma coluna política no extinto jornal "A Província do Pará". Silva foi um dos fundadores da Academia Paraense de Jornalismo, grande colaborador do Sinjor-PA, e ocupava a cadeira de número 12, cujo patrono é o jornalista Alfredo Fade. 

Conhecido como uma pessoa generosa e companheira, Rubens fazia de todos que o conheceram, seus amigos e admiradores, principalmente na área de jornalismo, em que ele atuou há mais de trinta anos. Atualmente o jornalista era assessor de comunicação do Tribunal de Contas do Pará. 

Neste momento de tristeza e de dor, o Sinjor-PA manifesta seu pesar e solidariedade aos familiares e amigos do jornalista Rubens Silva. 

O corpo está sendo velado na Capela da Max Domini, localizado na Avenida José Bonifácio, em frente ao Cemitério de Santa Isabel, no Guamá. O sepultamento está previsto para a manhã deste sábado, 16, às 9h30, no Cemitério de Santa Izabel."

NOTA DO BLOG Lamento muito dar esta notícia. Tinha muito carinho pelo Rubens Silva, meu amigo há décadas, doce, digno e bondoso, profissional competente e ético. Vai com Deus, Rubico, tua lembrança permanecerá viva entre teus amigos e familiares, que hão de encontrar o consolo na imortalidade da alma.