sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Abaixo o monstrengo!


Apesar de o gabarito para construções na área ser de, no máximo, quatro andares, já está no sexto andar o edifício que está sendo construído na esquina das Av. Governador José Malcher e Assis de Vasconcelos, em Belém, bem em frente ao Theatro da Paz. Não basta o trânsito intenso e pesado, os camelôs na calçada de um dos mais belos e representativos monumentos da cultura paraense, e ainda por cima vem esse monstrengo ilegal abalar as estruturas que estão sendo restauradas?! O Theatro da Paz pede socorro ao IPHAN, à Secult, ao Ministério Público e a toda a sociedade parauara. Não é possível que a ganância destrua mais um dos ícones da arquitetura, da História, da arte e da cultura do Pará. 

3 comentários:

Doralice Araújo disse...

Ah...Franssinete...Precisamos unir as nossas forças; é inadmissível que uma construção assim avance. Cadê o bom senso na hora de autorizar um prédio tão alto no entorno do nosso belo Theatro da Paz? Quem assinou? Qual é a construtora? Quanto vale um apartamento? O que a população de Belém pensa sobre tamanha imposição visual?


Acompanharei as notícias, aqui na sua página ou no Twitter; seus olhos serão como faróis em busca dos informes, cara conterrânea. Estarei atenta para ampliá-los, porque ja divulguei anteriormete essa afronta arquitetônica infame em postagem anterior, lá no NaMira.

Prof. Alan disse...

Franssi, quando eu morava em Belém fiz uma reforma na garagem da minha casa, no Médici II, na Marambaia. A reforma durou quatro dias, a fiscalização do CREA esteve lá três vezes.

Queria saber como é que lá no Médici II, numa reforma que durou 4 dias, a fiscalização do CREA aparece 3 vezes, e numa obra desse tamanho no centro da cidade, pertinho do CREA, IPHAN, SECULT, Secretaria de Obras, o escambau, ninguém vê isso!

Anônimo disse...

Fran não leste a denúncia que o Flexa\Ribeiro é sócio com mais de mil reais no capital da empresa e entrou com projeto para diminuir de 30 metros para 15 metros a distância da orla ribeirinha permitida para construções. É o tucano way of life, como eles gostam, que tal