sábado, 23 de julho de 2011

Amy, vitimada pelas drogas

A morte precoce da cantora Amy Winehouse, aos 27 anos, significa mais um alerta para a juventude consumidora de drogas. Que as famílias procurem se antenar com alterações de comportamento e de amizades de seus filhos. Ainda hoje, ver tantas vidas ceifadas por esse motivo deve causar indignação e revolta capazes de influenciar políticas preventivas, das quais todos temos que participar.

Nosso rio, nossas ruas

A violência nos rios paraenses chegou a níveis insustentáveis. O governo do Estado e a Marinha, via Capitania dos Portos, precisam agir, sob pena de incentivar a pistolagem. Quem conhece o circuito da pesca esportiva sabe, por exemplo, que depois do assalto de uma lancha com pescadores "diferenciados" em São Caetano de Odivelas, em que estava presente certo político com mandato e que tem trânsito junto ao governador, dois dos assaltantes foram mortos, e desde então os piratas só assaltam os barcos pesqueiros e de passageiros.

O que significa isso? Entregar a população para a barbárie? Sem falar que barcos da policia fluvial ficam protegendo as marinas particulares, mas deixam nas mãos de Deus (ou seria do demônio?) os pobres usuários das embarcações de linhas intermunicipais.

Não custa fiscalizar

O promotor de justiça de Salinas celebrou um Termo de Ajustamento de Conduta com a prefeitura local, em que ficou acertado, entre outras providências, a regularização da coleta de lixo. Só que, para variar, o prefeito Vagner Cury não cumpriu. Há mato e lixo aos montes em todas as ruas da cidade e, nas residências, só quem paga "o do refri" aos lixeiros se livra da imundície recolhida. Os urubus são os principais frequentadores da cidade, na preferência do alcaide, que só se interessa pelo seu hospital Frei Daniel Samarate, por sinal nos trinques.